Chapecoense e Joinville empatam em jogo marcado por homenagens

Assim que Chapecoense e Joinville pisaram em campo na Arena Condá, em Chapecó (SC), para estrearem na Copa da Primeira Liga, o clima no estádio parecia diferente. Não por menos, já que essa foi a primeira partida oficial da Chape na temporada. As duas equipes, inclusive, fizeram um duelo movimentado, com chances de ambos os lados, mas com o placar intacto: zero a zero.

O primeiro tempo de jogo mostrou duas equipes aguerridas em busca da vitória, mostrando que o clima de homenagens ficava à cargo da torcida. Apesar das boas chances para abrir o marcador, os goleiros Jhonatan (JEC) e Elias (Chape) não deixaram o placar mudar.

Na volta do intervalo, o duelo seguiu o mesmo ritmo, com o primeiro lance de perigo acontecendo logo no primeiro minuto. Na pequena área, Alex Ruan finalizou à queima-roupa para uma linda defesa de Elias.

Aos 26 minutos do segundo tempo (71’ de partida), as torcidas prestaram uma homenagem às 71 vítimas do acidente aéreo com o avião da Chapecoense no ano passado, com muitas palmas e o já tradicional grito "Vamos, Vamos Chape".

Desse ponto em diante, só deu Chapecoense na partida. O time atacava por todos os lados, mas não conseguia encontrar a melhor finalização e, assim, apesar da forte ofensiva, não assustava o arqueiro do Joinville. O resultado foi um empate no clássico catarinense, com o placar inalterado.

O próximo compromisso da Chape na Copa da Primeira Liga acontece no dia 8 de fevereiro, em Belo Horizonte (MG), contra o Cruzeiro. Já o Joinville também terá um rival mineiro pela frente, o Atlético Mineiro, no dia 9 de fevereiro, também na capital de Minas Gerais.

Ficha do Jogo: Chapecoense 0 x 0 Joinville - Copa da Primeira Liga
Local: Arena Condá - Chapecó (SC)

Chapecoense: Elias; Zeballos, Nathan, Luiz Otávio, Diego Renan; Moisés, Luiz Antonio (Nadson - Intervalo) e Dodô (Martinuccio - 32’2ºT); Osman, Túlio de Melo e Arthur (Lourency - 21’2ºT). Técnico: Vagner Mancini.

Joinville: Jhonatan; Caíque, Henrique Mattos, Max e Fernandinho; Roberto, Kadu e Lúcio Flávio; Fabinho Alves (Gustavo Xuxa - 41’2ºT), Bruno Batata (Ciro - 21’2ºT) e Alex Ruan (Juninho - 29’2ºT). Técnico: Fabinho Santos.

Arbitragem: Willian Machado Steffens (SC); auxiliado por Alex dos Santos (SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC).