Copa da Primeira Liga terá apenas dois treinadores com experiência no torneio

Em sua segunda edição, a Copa da Primeira Liga será, mais uma vez, uma das primeiras chances para que os treinadores de alguns dos principais times do país "mostrem serviço" no início de temporada. E, para isso, a experiência pode fazer a diferença. Dos 16 técnicos que comandam as equipes participantes do torneio, apenas dois já disputaram a competição: Roger, ex-Grêmio e, hoje, no Atlético-MG, e Deivid, que dirigiu o Cruzeiro em 2016 e, agora, está no Criciúma.

O time gaúcho caiu ainda na primeira fase no ano passado, apesar de ter tido uma das melhores campanhas. Em três partidas, o Grêmio venceu o Coritiba (1 a 0), e empatou com Internacional (0 a 0) e Avaí (2 a 2). Em segundo no grupo, a equipe ficou a apenas um ponto de garantir uma vaga na semifinal do torneio.

Já o Cruzeiro, treinado pelo ex-atacante Deivid, encerrou a primeira fase com três pontos em sua chave, após somar uma vitória contra o Atlético Paranaense (2 a 1), um empate frente ao Criciúma (1 a 1), e uma derrota diante do Fluminense (4 a 3).

Dessa forma, 14 treinadores estreiam na Copa da Primeira Liga: Enderson Moreira (América-MG), Claudinei Oliveira (Avaí), Rogério Zimmermann (Brasil de Pelotas), Gilmar Dal Pozzo (Ceará), Vagner Mancini (Chapecoense), Mano Menezes (Cruzeiro), Marquinhos Santos (Figueirense), Zé Ricardo (Flamengo), Abel Braga (Fluminense), Renato Gaúcho (Grêmio), Antônio Carlos (Internacional), Fabinho (Joinville), Claudio Tencati (Londrina) e Wagner Lopes (Paraná).

O Atlético-MG de Roger está no Grupo C da competição, ao lado de Cruzeiro, o rival de estreia no dia 1º de fevereiro, Chapecoense e Joinville. Já o Criciúma, que enfrenta o Fluminense na abertura do torneio no dia 24 de janeiro, também briga por uma vaga nas quartas contra o Internacional e o Brasil de Pelotas.