Cruzeiro derrota a Chapecoense e garante vaga nas quartas de final

A participação do Cruzeiro na Copa da Primeira Liga pode ser resumida por um número: 100%. Ou até mesmo o 2, das duas vitórias da Raposa no torneio. Mas, na noite desta quinta-feira, o número da vez foi o 9, da camisa de Ramón Ábila, autor dos dois gols da vitória dos mineiros sobre a Chapecoense no Mineirão por 2 a 0.

Enfrentando uma equipe alternativa que o treinador Vagner Mancini colocou em campo, o Cruzeiro mostrou desde o início que a ordem de Mano Menezes era uma só: pressionar do começo ao fim.

O time celeste atacava de todos os lados e tinha em Ábila a referência principal do ataque. E foi dele o primeiro gol, em bela cobrança de pênalti, após Rafinha invadir a área pela linha de fundo.

Mas o argentino havia guardado o melhor para o fim. Logo no início da segunda etapa, Ábila recebeu a bola, limpou bem a marcação e, de fora da área, encobriu o jovem goleiro Tiepo. Um golaço com a marca registrada do camisa nove.

E a partida terminou com vitória de um time mineiro mandante, pela segunda vez na rodada, e com a classificação da Raposa para as quartas de final da competição nacional.

Na próxima rodada, o Cruzeiro visita o Joinville, no dia 22 de fevereiro. Já a Chapecoense recebe o Atlético Mineiro no dia 1º de março. A Raposa lidera o grupo com seis pontos, seguido pelo Galo, com três, e Chape e JEC, com apenas um.

Ficha do Jogo: Cruzeiro 2 x 0 Chapecoense - Copa da Primeira Liga
Local: Mineirão - Belo Horizonte (MG)

Cruzeiro: Rafael; Mayke, Caicedo, Manoel e Bryan (Fabrício - 17’2ºT); Hudson (Lucas Silva - 21’2ºT), Romero e Alex (Arrascaeta - 32’2ºT); Rafinha, Ábila e Élber. Técnico: Mano Menezes.

Chapecoense: Tiepo; Lucas Marques, Hiago, Vinícius Guarapuava e Gabriel Busanello; Scalon (Ronei - Intervalo), Lucas Mineiro e Bryan (Guilherme Lima - 44’2ºT); Lourency, Perotti e Wesley Natã (Japa - Intervalo). Técnico: Vagner Mancini.

Gols: Ábila (37’1ºT e 07’2ºT).

Arbitragem: Daniel Nobre Bins (RS); auxiliado por Lúcio Beiersdorf Flor (RS) e Júlio Cesar Espinosa de Freitas (RS).